Eu nasci pelado, de favor, rindo que nem um menino bobo, numa chuvosa manhã de julho de 1972, em Montes Claros/MG.

Para minha mãe, Lourdes, seria humorista, mais precisamente, palhaço, quando crescesse. Já o meu pai tinha quase certeza de que não iria prestar para nada. Também, pudera, vivia no mundo da lua... Quer saber, acho que ele tinha um pouco de razão: Fiz teatro, tentei aprender violão, música, partitura, cantar foi o pior dos desastres... Ainda fui projetista, advogado, vendedor, instalador, escriturário, locutor de rádio... Caramba! Nada deu certo. Talvez porque não tenhamos controle sobre nada nessa vida. Afinal, são os sonhos que nos escolhem. Nunca o contrário. Pelo menos, comigo, foi assim que surgiu o caso de amor pela literatura. As boas histórias imitam a aventura da vida. Então participei oficinas de escrita criativa, li muito, estudei bastante... Depois de tanta teimosia, aprendi a escrever sem perder a alegria e o bom humor. Nessa travessia, descobri que viver pode ser o maior barato! Ainda, o segredo para se alcançar algo é nunca desistir. Distribuir sorrisos e abraços ajuda, abre portas, abranda barreiras. Já a tal da sorte é a desculpa dos fracos!

Então, persista! Lute!

Já sorriu para alguém hoje? E ganhou e deu quantos abraços?

Não! Nada! Como assim? Venha cá!


A minha Turma é Fogo

Puxa! Bem no meio da aula cantada do amalucado professor Rio a biblioteca da escola municipal pega fogo. 

Leia mais

Conte-me sua história...

Ei! Que tal me ajudar a escrever meus próximos livros? Simples e fácil..

Leia mais